Compartilhe

Após falarmos sobre as pressões no trabalho, decidi compartilhar com vocês um assunto que está diretamente relacionado com isso: Salário Emocional.

O salário financeiro, benefícios, bônus, gratificações e prêmios, tudo isso já estamos carecas de saber o que é, né!? Mas e o salário emocional, você já ouviu falar? Pois é, acredito que algumas pessoas já, e outras não. Então, hoje nós vamos falar um pouquinho sobre o que é o salário emocional e qual o peso que ele tem sobre a nossa carreira. Vamos lá!?

Salário Emocional:

O salário emocional é a parte que está relacionada a nossa sensação de satisfação, realização, reconhecimento, felicidade e pertencimento. Tudo isso dentro do ambiente profissional. É tudo que envolve emoções e sentimentos. Ou seja, é tudo aquilo que nos causa um bem-estar que não esteja ligado a recompensas financeiras. Por exemplo:

Ambiente de trabalho agradável: Criar uma cultura de paz e confiança através do respeito entre as pessoas e a implementação das normas de segurança do trabalho.

Comunicação mais assertiva entre os colaboradores e gestores: Criar um canal de diálogo aberto através da CNV – Comunicação Não Violenta.

Programas de qualidade de vida: Criar projetos de promoção de saúde através de palestras, comunicação interna, meditações e ginástica laboral.

Planos de desenvolvimento de carreira: Criar programas de desenvolvimento profissional através da meritocracia e aumento de habilidades com o coaching.

Flexibilidade de horário: Criar estruturas de Home Office e compensação de horas.

Cultura organizacional bem difundida: Criar implementações de integração e job rotation.

Valorização do lado pessoal: Criar programas de socialização com participação dos familiares.

Antigamente, o que motivava os funcionários era uma remuneração alta e um pacote de benefícios atrativos. Atualmente, isso não basta. Precisa de algo a mais para conseguir aumentar o grau de felicidade no trabalho. Esse algo a mais é o salário emocional. A relação entre propósito e missão do colaborador com o propósito e a missão da empresa é parte crucial de uma maior entrega, e consequentemente de uma maior produtividade.

Vantagens do salário emocional:

O salário emocional possui inúmeros benefícios. Vou trazer aqui os quatro pontos que mais afetam o crescimento saudável de uma organização:

• Aumento da produtividade: Funcionários mais valorizados aumentam a criatividade e a disposição para o trabalho.

• Retenção de talentos: Funcionários mais satisfeitos com o trabalho dificilmente pedem demissão. Isso diminui os gastos com contratações e perdas de excelentes colaboradores.

• Redução com afastamentos: Funcionários mais felizes reduzem os níveis de estresse e ansiedade, logo, diminui o absenteísmo e gastos com saúde.

• Colaboração entre equipes: Funcionários com uma sensação maior de pertencimento se tornam mais engajados criando uma cultura colaborativa na empresa.

Para que a empresa consiga captar os melhores colaboradores para o seu time, é importantíssimo que ela tenha um plano de ação de curto prazo para implementar o salário emocional na sua organização.

O mundo está cada vez mais competitivo, sendo assim, o salário emocional é, com certeza, um diferencial de peso na avaliação do candidato. Pois como já falei em textos anteriores, agora não é só a empresa que avalia o candidato, mas também é o candidato que avalia a empresa.

Se você é empresário e deseja implementar o salário emocional na sua empresa, entre em contato conosco que vamos adorar te ajudar!